Globo x Record

Todo mundo já falou disso, todo mundo deve ter visto as duas principais matérias sobre o assunto, veiculadas nos principais telejornais das respectivas emissoras e, talvez, esse post não vai acrescentar nada de novo no que você pensa, sabe ou quer acreditar.

Como eu sou chato o suficiente para render um assunto por muito tempo, quero deixar aqui alguns pontos observados ao ver as duas matérias abaixo.

A Globo é flor que se cheire?
Não mesmo. Muita gente sabe do passado da emissora, sabe do que ela é capaz e a matéria apresentada pela Record não é de toda falsa. Fatos que alí estão de fato aconteceram e o poder de influência da Globo nas pessoas – seja nos anos 80 ou agora – ainda consegue fazer a diferença.

A Record/Edir Macedo é flor que se cheire?
Muito menos. Todo mundo sabe que não é de hoje que se escutam histórias e surgem vídeos na internet sobre as histórias de Edir Macedo. Se existem denúncias, elas precisam ser apuradas, porque não se pode negar que Edir Macedo enriqueceu de uma forma bem rápida.

A Globo atacou a Record?
Não. A Rede Globo tem uma missão em seu Jornal Nacional, que é apresentar as principais notícias do dia e a principal era o fato de Edir Macedo e outras nove pessoas serem alvo de investigação do Ministério Público. Ponto final. A Globo cita a Record, mas o foco principal da matéria que é vista é o Edir Macedo. Associações são feitas, afinal ele é o dono da emissora paulista, mas a matéria foi puramente sobre ele, não sobre a Rede Record.

Compromisso com a verdade ou caso pensado?
Talvez um, talvez outro, talvez um pouco dos dois. Você pode pensar que a Globo fez isso de caso pensado – e eu até concordo – mas a matéria estava aí e precisava ser apresentada. Acima da briga, é uma notícia sobre um crime. Claro que falar disso pode ter “vindo a calhar”, mas é uma matéria que tinha que ir para o ar, da mesma forma que devia ir pro ar se o investigado fosse o dono da Bandeirantes, da Rede TV ou o Silvio Santos.

A defesa da Record foi eficaz?
Defesa? A única coisa que a Record não fez foi “defender o seu dono”. A “defesa” da Record foi a maior papagaiada da história da TV brasileira. Se sentiram tão “lesados” pela matéria veiculada na Globo que nem se deram ao trabalho de assistir atentamente ao que foi colocado no ar. Falaram do tempo de duração da matéria e de como a Globo conseguiu as informações, deixando implícito que a emissora carioca tem algum tipo de influência sobre o Ministério Público a ponto de conseguir informações sigilosas. Até aí tudo bem, não fosse o fato de que a matéria veiculada pela Record ter quase o mesmo tempo de duração criticado e, principalmente, mostrando que se preocuparam tanto em difamar a Globo e nem prestaram a atenção na matéria, já que se você ver apenas 30 segundos do vídeo da matéria veiculada no Jornal Nacional , você faz a “incrível” descoberta de que as informações sobre a investigação não foram obtidas pela Rede Globo e sim pelo Estado de São Paulo, vulgo Estadão. Jornal este que não faz parte do domínio Marinho.

Estou defendendo algum lado?
De maneira nenhuma. Só defendo a ética e o bom comportamento. Defendo a utilização correta do dinheiro alheio, ainda que não concorde com essa coisa de “dar dinheiro para a igreja”. Aliás, quem dera se todos os podres existentes no Brasil fossem revelados, seja pelos canais de TV, pelos jornais ou então pelas revistas. Enquanto a gente vê uma ou outra coisa estourando por vez, existem outras 50 passando despercebidas diante dos nossos olhos.

Essa história toda só me faz ter mais certeza de que a TV brasileira está cada dia mais deplorável, mais mesquinha e mais preocupada em apenas prender a atenção das pessoas, não em ser um veículo de comunicação e, sobretudo, de informação.

Claro que toda regra tem a sua exceção, mas a TV aberta no Brasil vai descendo a ladeira sem freio já a um bom tempo e quem perde com tudo isso não é a Família Marinho, o Edir Macedo, Silvio Santos ou o Grupo Bandeirantes. Quem perde com isso somos eu e você, simples telespectadores que acabam se tornando reféns de um sistema deficiente.

da-globo-record-e-sbt

E aí? Você vai continuar defendendo uma ou outra e se contentando com um ou outro programa interessante ou vai lutar por algo com um alto índice de qualidade?

Ah, vale lembrar que se refugiar em canais americanos, mexicanos, ingleses, japoneses e australianos também não adianta nada, viu?!

Anúncios

50 coisas que aprendi assistindo Chaves

Eu disse que voltava com algo legal. Lendo blogs alheios acabei chegando ao “Quem matou a Tangerina?” que é mantido no ar graças aos bons posts do Fred Fagundes, ao contrário deste blog no qual você está parado que raramente vê bons posts.

Mas, post vai e post vem, cheguei ao dito post referido no título acima. O Fred já tinha escrito anteriormente sobre as 50 coisas que ele tinha aprendido jogando vídeo game e também sobre as melhores séries, propagandas e brinquedos dos anos 90. Agora resolveu atender a um pedido de um leitor e fez a lista abaixo.

.

.

Então, sem mais enrolação, vamos a lista:

1. Seria muito melhor ter ido assistir o filme do Pelé.

2. As crianças mexicanas tem rugas.

3. JAMAIS enconstar em alguém que esteja tomando um choque.

4. Seu Madruga paga o aluguel todos os meses. Por isso sempre deve 14 meses, não 15, 16, 17…

5. Brasilia já foi carrão.

6. Não basta ser o maior professor do mundo. Tem que ter um pouco de pepsicologia.

7. Pessoas bebem leite de burra.

8. Existe uma fruta chamada tamarindo.

9. O Quico é emo.

10. Devemos deixar os outros fazerem nosso trabalho para evitarmos a fadiga.

11. A vingança nunca é plena, mata a alma e envenena.

12. As tintas verde-limão são as mais baratas no México.

13. Trabalho não é a pior coisa do mundo. Pior é ter que trabalhar.

14. Uma epístola é uma carabina, só que menor.

15. Azul escuro em inglês é blue marinho.

16. Equilibrar cabo de vassoura com o pé é maneiro.

17. Deixar uma casca e banana no chão pode causar um grande acidente.

18. O segundo episodio do Guilherme Tell é o mais caro do mundo. Por isso o Silvio Santos não comprou.

19. Alguns móveis são feitos de isopor.

20. Portas também.

21. Se me acordarem às 11h, tragam o café na cama.

22. Socos têm barulhos de sinos.

23. Sempre tem um filho da puta que rouba as moedas nas fontes dos desejos.

24. Leite é muito parecido com gesso.

25. “Quero ver outra vez seus olhos olhinhos em noite serena” é a talvez a única música mexicana que metade da população brasileira conheça.

26. Um cabo de vassoura com um lençol amarrado na ponta equivale a uma mala.

27. O pai do Quico  na verdade está vivo, ele simplesmente fugiu de casa.

28. Alguns alunos são tão tímidos que nem os professores percebem sua presença em sala de aula.

29. Uma caveira significa prerigo. PRE-RI-GO.

30. Ninguém tranca as portas nas vilas mexicanas.

31. As marcas de catapora feitas com caneta hidrocor ficariam muito estranhas na TV Digital.

32. Qualquer Mcdonalds da América do Sul lucraria caso vendesse o Mc Sanduíche de Presunto.

33. Hector Bonilha é o Antonio Fagundes acima da linha do Equador.

34. As pessoas boas devem amar seus inimigos.

35. Deus é um cara legal por não deixar as vacas voarem.

36. Os carrinhos feitos com caixas de sapatos são os mais maneiros.

37. Não é indicado deixar uma máquina de lavar no meio da sala.

38. Nunca acredite em boatos de que seus ídolos morreram num acidente de avião.

39. Bolinhas de tênis de mesa são parecidíssimas com ovos.

40. Pirulitos podem ter o tamanho de raquetes de tênis.

41. O trabalho infantil é legalizado no México.

42. Os roteiristas da série não sabiam o que era a aritmética.

43. O estilingue pode ser uma arma mortal.

44. Tem vez que Acapulco é no Guarujá.

45. Se você é jovem ainda um dia velho será.

46. Pouco me importa se você quer. Compre.

47. Algumas pessoas são idiotas a nível executivo.

48. As dívidas são sagradas.

49. Se você quiser vir a ser alguma coisa, que devore os livros.

50. Se capivaras tivessem trombas seriam trapezistas em um circo tchecoslovaco.

Cacildis..

Este talvez seja o vídeo mais sinistro que eu vi nos últimos dias. Mesmo sendo um saudosista, fã mesmo d’Os Trapalhões, não tinha conhecimento deste episódio, gravado em 83, onde eles fazem uma previsão de como estariam os quatro em 2008, 25 anos depois.

Vale lembrar que, hoje em dia, Didi e Dedé voltaram a trabalhar juntos, depois de quase 15 anos, Dedé mora com três filhos pequenos e Mussum e Zacarias já faleceram.

Mas, porque estou falando isso? Bom, veja o vídeo que você vai entender…

.

ps.: Deu pra perceber que o vídeo foi editado, né? Se você quer ver o original, com a participação de um apresentador, de nome Bub Razz, é só clicar aqui.

Vida inteligente na madrugada…

Me apropriando do slogan principal de um dos programas de referência deste post, vamos lá:

É inegável que, por mais que você odeie a Rede Globo de “tevelisão”, pelo menos alguns dos seus programas possuem uma qualidade impressionante, tanto de produção como de informação.

Levando isto para o lado musical, é bem legal ver bandas ditas “alternativas” e com muito mais qualidade do que as ditas de “mainstream” aparecendo na grade da emissora, seja em participação física ou então apenas com os seus trabalhos como plano de fundo.

Dois exemplos?

1) Altas Horas

O Slogan presente no título do post é a mais pura verdade. É raro ver um programa com uma boa qualidade na tv aberta, ainda mais neste horário. Eu não vou muito com a cara do Groisman, porque ele as vezes é um “piadista forçado”. Adora uma gracinha e as vezes isso não é necessário. Mas o programa em si é muito bom e, quase sempre, rola uma musiquinha de qualidade, como no sábado passado, que rolou isso aqui por lá:


[Vanguart]

2) Fantástico

Tá, muitos não aturam o Zeca Camargo, mas eu acho ele de uma inteligência rara na tv brasileira. Mas não é isso o que chama mais atenção e sim as músicas que rolam na maioria de suas reportagens.

Já tive o prazer de ver reportagens legais com Franz Ferdinand, Arctic Monkeys, The Strokes, Nine Inch Nails, Coldplay e várias outras bandas ao fundo e isso só enaltece as reportagens.

Eu até acho que o responsável pelas trilhas é um cara alternativo! hahaha

E essa “qualidade sonora” está se espalhando para outros programas. Quarta mesmo eu vi no Globo Esporte um reportagem sobre Rally e ao fundo “Sweet Amber”, do Metallica.

Tá, isso foi uma brincadeira, relevem..

Quatro coisas antes de ir:

1) Falando em Altas Horas e Serginho Groisman “piadista”, eu sempre me lembro dessa participação do grande Placebo no programa, aqui dividido em 2 links no iutubi:

Placebo: Parte 01Parte 02

2) Geninho: Vá pra put@ que p@rioooo e NUNCA MAIS volte ao meu GALO! FDP!
Depois eu falo mais do galo!

3) Alguém vê TV com frequência? Já viram isso:

É, algo ainda me diz que a Mallu Magalhães vai dominar o mundo! E isso me assusta… O.o

4) Amor, te amo!

êêê madrugada…

Alguém pensou que eu resolvi refletir muito sobre o último post e sumir, certo?

Mas não foi por isso que eu dei uma desaparecida, essa semana foi meio corrida ou, como diria a Pitty em seu {Des}concerto, “o bicho tá pegaando meu pai”. E foi por isso que este querido e interessante blog ficou de lado…

Mas, antes madrugada… quer dizer, antes tarde do que nunca…
Estamos de volta…

Contagem regressiva 01.:
Faltam pouco mais de dois meses para o Interpooool!
Quem vai? quem vai?

xD

Se Deus quiser, vem novidades sobre shows por aí.
Quando puder, ou tiver algo pra contar, entrarei em detalhes…

O.o

Festival de Verão na Globo.:

Chorão e Durval Lélis cantando JUNTOS “Proibida pra mim”
Não não, você não leu errado e eu não estou ficando louco as 03:24 da manhã. É isso mesmo…

[minutos depois]

Opa, voltei. Tive que parar para ver isso.

Parece que a “mistura” desenvolvida pela Coca Cola ganhou mesmo força. Se bem que, o festival em si já é uma mistura. Asa de Águia, Charlie Brown Jr, Daniel, Babado Novo, Eagle-Eye Cherry…

Vai entender, né?!

E pensar que eu estava ouvindo The White Stripes antes de ligar a TV e ver MC Leozinho e a Bruna Surfistinha no Altas Horas e, por mais incrível que pareça, não ter desligado a TV e voltado a ver/ouvir o Jack cantando “The Hardest Button to Button”

Alguém me explica porque a Rede Globo exibe o grande cantor Daniel cantando 3 músicas seguidas e não mostra nada do péssimo e ridículo Eagle-Eye Cherry?

E agora, começam a exibir o maravilhoso show do Jammil ao vivo.

Ainda bem que não mostraram nada ainda do ícone do samba, ex-pegador daquela tal de Viviane que sai todo ano no Carnaval e mais conhecido como Belo ou então, “que bonito, hein?!”

Pergunta 01.:
O que leva uma pessoa a escrever as 03 da manhã de sábado sem nenhum assunto?

Segunda tem Jack Bauer de volta no canal Marinho, que pra variar vai passar depois do Jornal da Globo e cortar os episódios, porque a Globo não pode deixar de exibir o Corujão as 4 da manhã e, com isso, colocar o Intercine ou o Sessão Brasil um pouco mais tarde do que o convencional para passar a série completa para as pessoas…

Ahhh, ele não morre no fim tá? =)

Pergunta 02.:
Porque a Globo não pega o dinheiro usado no interessante Big Brother Brasil, compra umas séries legais que a SBT não exibe direito e coloca nos sábados a tarde, domingo a noite ou nos dias de semana nas madrugadas?

Contagem regressiva 02.:
Vem Cloverfield, vem cd novo do Panic [sem a exclamação] At The Disco!

Pergunta 03.:
Porque toda banda de axé tocam músicas de todas as outras bandas/cantores/cantoras?

Pergunta 04.:
Porque a diretoria do galo não contrata jogador de preste para o time?

Chega de papo e vamo indo!
Volto ainda essa semana…

E eu ainda estou esperando o Eagle-Eye Cherry…

.

.

[Ouvindo: Timbalada – “a música da água mineral” (Ao Vivo no Festival de Verão)]