Seguura peããão!

Tá chegando a hora de levantar poeira da Fazenda (oi? fazenda? onde?) Sobradinho. Vem aí o Rodeio de Sabará.

Ivete Sangalo? Pra que meu povo sabarense? Não precisamos dela, ainda mais com esta lista aqui:

23/07 – André Valadão (show gospel)
24/07 – Don & Juan (da Alterosa para Sabará)
25/07 – Bruno & Marrone (da praça para Sabará)
26/07 – Victor e Léo (a fada querida vai vir?)
27/07 – Gino e Geno (só eles que prestam!)

.

Mais informações sobre ingressos se você realmente quiser comparecer ao depósito de terra da prefeitura a Fazenda Sobradinho, é só clicar aqui e conferir.

Lembrando que na compra de passaporte individual, você ganha um cd de Adriano & Anderson. Já na compra de passaporte casadinho (O.o), você leva além do cd citado acima, um DVD de Don & Juan.

.

Isso não é imperdível?! Eu nem preciso responder, né?!

Anúncios

Você já chupinhou?

Calma gente, isto não é um termo pornográfico e nem vou mandar vocês abrirem o YouPorn, ok?

Chupinhar, no mundo publicitário, pode ser considerado como um plágio, mas tem algumas diferenças.

Chupinhar é quando alguém se baseia em algo já existente para a sua criação, utilizando vários aspectos que fazem referência a idéia original, mas sem propriamente usar tudo o que está presente na determinada idéia.

Como exemplo: Eu tenho que criar uma idéia de clipe para uma banda nova e, na minha criação, eu utilizo coisas que fazem lembrar um clipe já existente. Seja roupas, cenário ou história. Mas tudo com a adaptação ideal para a devida banda nova e sem usar tudo existente no clipe de base. Trocando em miúdos, vou fazer um clipe para uma música da Fresno e, neste clipe, uso coisas que lembram o clipe de Give It Away, dos Peppers. Um cenário diferente, novas pessoas, mas efeitos parecidos, dando uma nova roupagem na antiga ideia. Isso seria um exemplo de “chupinhar”.

Já plagiar não. Plagiar é quando alguém copia descaradamente qualquer trecho de obra, anuncio, etc. Seria, utilizando o exemplo acima, eu pegar o clipe de Give It Away e fazer exatamente a mesma coisa com os caras da Fresno. Um clipe com as mesmas roupas, cenários, gestos e talz.

.

Dizem por aí que o bom publicitário cria, mas que o mais bem sucedido na realidade é aquele que copia e faz melhorias, ou seja, aquele que chupinha.

.

Falando nisso, vem aí o IV Congresso Brasileiro de Publicidade, que será realizado nos dias 14, 15 e 16 de julho em São Paulo. Eu queria muito ir, mas os preços promocionais de 900 reais para estudantes e os shows de Biquini Cavadão, Fábio Junior e Scarcéus “di gratis” aqui onde moro nos dias 17, 18 e 19 realmente me fizeram repensar melhor nesta idéia. Mentira, foi só por causa dos shows mesmo, ainda mais uma apresentação do mestre Fábio Junior. Isso deve ser DE-MA-IS da conta! De graça então e aqui em Sabará, é uma combinação explosiva. PUUUURO sucesso!

ê domingo!

Sabe quando aquela preguiça bate a porta e a gente, se pudesse, ficava na cama o dia todo?

Pois é, ela bateu tanto aqui na porta hoje que quase que eu nem levanto para abrir a porta, tamanha a vontade de ficar deitado assistindo a maravilhosa programação da tv aberta no domingo, já que eu não tenho a famosa TV paga no quarto e, pra completar, os únicos canais “assistíveis” por aqui são SBT, Band e Globo.

Era hoje a final da Eurocopa? Pois é, não vi, mas já fiquei sabendo por nicks alheios no MSN que a Espanha ganhou a final da Alemanha. Que feliz que eu fiquei. Sim, isso foi uma tremenda ironia e não, eu não estava torcendo pra Alemanha!

Era hoje que o galo ia jogar? Pois é, jogou e.. err.. empatou com o Fig.. deixa pra lá.. em 1×1. Isso eu vi, pelo menos uma parte, mas vi. Vi o Gallo mexendo mal no Galo, mas tudo bem, eu sei que ele tem um espírito de professor pardal escondido.

Era hoje que eu ia escrever pro ML? Era, mas como disse, a preguiça mandou lembranças e amanhã eu faço tudo. Notícias, playlist, vídeos e o blog. Se bem que o blog eu posso atualizar agora… Tenho até uma notícia. Então, pode ir lá porque quando você estiver lendo, ele já deve estar atualizado.

Mais alguma coisa?

Ah sim, não pudia encerrar o post sem um “ei, PUC MINAS, vai tomar no #@” e o motivo é simples: a maldita matrícula dos veteranos que não aceita o pedido de matérias do 1º período que, por motivos alheios a nossa vontade, os alunos precisam repetir. A única coisa positiva – se é que isso pode ser considerado positivo – é que, se eu não conseguir a matéria, não terei aulas nas segundas no próximo semestre, em compensação, meu curso vai ficando atrasado. Parabéns coordenação, eu amo vocês cada dia mais!

Vou até ouvir Moptop pra ver se eu tenho “Uma chance” de ficar “Bem melhor” com tudo isso. É “Sempre igual” e eles sempre acham que tudo está “Tão certo” e isso me deixa puto! Depois, quando a gente manda a instituição pr’um “Lugar qualquer”, eles reclamam.

post institucional

Acredito que você já deve ter ouvido falar sobre propagandas institucionais, certo?

Caso não tenha conhecimento, o wikipédia [sim, estou com preguiça de explicar] nos diz que a propaganda institucional tem objetivos de promover e diferenciar ações, estratégias e planos de responsabilidade social de empresas que prezam pelo crescimento de sua comunidade, cultura, educação e/ou preservação ambiental. Deste modo, como em qualquer outra ferramenta do marketing, quando executada levando em consideração a ética, sem menosprezar a capacidade de discernimento e a inteligência do público envolvido, proporciona que consumidores optem entre organizações concorrentes que atendam ou não aos interesses sociais. Esta estratégia de comunicação equilibra as expectativas do público à lucratividade da empresa atrelando à marca identidade e valores subjetivos pela postura desempenhada e, assim, garantindo-lhe credibilidade.

Voltando ao post desta noite de domingo que fecha um fim de semana desastroso esportivamente, com provavelmente o único ponto positivo ficando para a vitória do Felipe Massa hoje na França, a qual eu não vi pois estava dormindo, venho fazer um post institucional.

Dei uma organizada aí no blog, separando os feeds na lateral esquerda e as demais coisas [do blog ou alheios] ao lado direito. Os vídeos que tinham uma página separada no menu principal agora ganham espaço na organização das colunas, graças ao VodPod. Agora os vídeos aparecerão logo aí abaixo das fotos já costumeiras do blog que estão hospedadas no flickr.

Para ocupar a vaga dos vídeos no menu lá em cima, aparecem os contatos. Tudo [ou quase tudo] que eu tenho na net está alí. Perfil no orkut, flickr, last.fm, my space e afins. Aos poucos vou acrescentando outras coisas e, na medida que novas coisas forem surgindo, estarão por lá também.

Pra finalizar, na parte “sobre”, você agora confere uma espécie de ping-pong com o autor deste blog [eu né? dããã] e novas perguntas serão acrescentadas ao longo do tempo. Além disso, imagem nova no título e o mais legal disso é que, a cada título novo, eu apareço menos na imagem. o/

E é só isso mesmo! Obrigado as 2,752 visitas ao longo dos meses e “vamo que vamo” porque o blog não pode parar.

Euro 2008: da classificação a decepção

Poderia postar aqui hoje falando de mais um grande jogo da Holanda, mas o que eu vi hoje nem de longe remete a Holanda dos jogos passados e, mais do que isso, trouxe de volta um velho problema que cerca o técnico Marco Van Basten, o fato de não saber lidar com resultados adversos e o medo de ter que buscar o resultado. E devido ao meu enorme desapontamento, hoje não tem foto, não tem imagem, não tem merda nenhuma. Só tem uma crítica.

Durante a primeira fase, o que vimos diante de italianos, franceses e romenos foram três jogos onde a Holanda saia em direção ao ataque e, por mais que não tivesse sofrido tamanha pressão como no jogo de hoje contra a Russia, a equipe sabia se postar em campo e demonstrava união em busca de um objetivo, a classificação.

.

Holanda 2 x 0 Romênia
Van Basten coloca em campo um time reserva e a Romênia precisava de uma vitória para garantir a vaga. Uma Holanda que dominou os 90 minutos com Van Persie e Robben controlando o meio campo, que jogou bem mesmo com a presença do jovem e sempre afobado Afellay. A Romênia que precisava da vitória não veio a campo, veio uma apática onde só o Mutu jogou um pouco do que sabe e, para vencer qualquer jogo, isso era pouco. Huntelaar fez o primeiro gol aos 9 e Van Persie aos 42 do segundo tempo. Para saber mais sobre o jogo, leia a matéria do Globoesporte.com.

.

Triste fatalidade
Na quarta-feira, dia 18, Khalid Boulahrouz foi obrigado a deixar o treino comandado por Van Basten depois que sua mulher foi levada a um hospital devido a complicações de sua gravidez. Os dois aguardavam com ansiedade o nascimento do primeiro filho, mas devido ao nascimento prematuro, Anissa não resistiu e acabou falecendo. Mesmo com tudo isso, Boulahrouz declarou que continuaria defendendo a seleção da Holanda na Eurocopa de 2008.

.

Holanda 1 x 3 Russia
O início do fim chegou a cabeça de cada holandês quando se via uma equipe sem criação no meio, sofrendo a pressão de uma Russia que até então não tinha feito nenhuma partida que pudesse ser classificada como maravilhosa durante a primeira fase, ao contrário da “laranja mágica”.

Mas, o encanto foi se apagando a medida que o tempo passava e a Russia atacava. Van der Sar fez mais uma partida digna de prêmio, salvando a Holanda em várias ocasiões, principalmente no segundo tempo. Mas, já dizia o meu avô, um goleiro sozinho não garante o placar e aos 11 minutos, depois de boa jogada pelo lado esquerdo de ataque, Semak cruzou rasteiro para a área e Pavlyuchenko escorou para a rede, fazendo 1×0 Russia.

A Holanda resolveu ir pra cima. Já tinha em campo o Van Persie [entrou no início do segundo tempo] e o Heitinga [entrou no lugar de Boulahrouz pouco antes do primeiro gol] e ainda faltava uma substituição pra fazer. A idéia natural era a entrada do Robben, mas Van Basten no auge de seus experimentos colocou o já citado jovem e afobado Afellay, aquele que na gíria do futebol pode ser chamado de “barbantinho”, o que nunca toca a bola, mesmo com o companheiro em melhores condições. Nesta função já tinha o Sneidjer e o Afellay ficou mais perdido do que o normal em campo, sendo obrigado a jogar pela ponta esquerda, enquanto isso o Robben, que seria o ideal pra jogar nessa posição, teve que ver o resto do jogo no banco.

Sem apresentar um bom futebol, a Holanda chegou ao empate aos 41 minutos. Após cobrança de falta de Sneijder, Van Nistelrooy escorou de cabeça para o fundo do gol do goleiro Akinfeev. 1×1.

E o jogo seguiu até a prorrogação, onde a Russia mostrou a que veio e aprontou uma “correria” pra cima da defesa holandesa visivelmente cansada e desorganizada. A Holanda, por sua vez, insistia no jogo pelo meio e se cansou de chutar de longe, sem assustar o goleiro russo.

A Russia foi se cansando de perder gols até que acabou achando o segundo gol. Arshavin [em noite inspirada] fez mais uma grande jogada pelo lado esquerdo e cruzou em direção a pequena área. Torbinski só teve o trabalho de escorar para a rede. A Holanda pragmática entregou os pontos e ainda levou o terceiro gol de brinde, Arshavin recebeu a vinda de uma cobrança de lateral e, dentro da área, bateu pro gol. A bola desviou no marcador e passou pelo meio das pernas de Van der Sar, fechando o caixão daquele que parecia ser o sonho mais possível de se concretizar.

.

Fim de uma era
A era Van Basten na seleção holandesa chega ao fim, marcada por bons jogos na primeira fase da Euro 2008 e da Copa 2006, mas marcada também pelo desespero de ver uma equipe infinitamente superior se sucumbir no mata-mata diante de equipes que vinham “as duras penas” na primeira fase das competições [Russia na Euro e Portugal na Copa] e, principalmente, pelos erros de substituição de Van Basten, que agora vai trabalhar no Ajax [ainnn jesus, lá vamos nós de novo].

Agora é juntar os cacos, arrumar um novo técnico e buscar a vaga pra Copa 2010 nas eliminatórias que começam logo logo. Força pra isso esta geração tem. Apesar da eliminação e da decepção, fica claro que este time tem qualidade e agora é torcer para que esta apatia vista no jogo de hoje vá para o quinto dos infernos.

.

Enquanto no Brasil eu faço coro com os que gritam “Adeus Dunga”, pelo lado holandês eu sou obrigado a dizer “até o campeonato holandês Van Basten”.

Apenas propagandas…

Enquanto não escrevo sobre o último jogo da Holanda, diante da Romênia [que já aconteceu a alguns dias], deixo vocês com um resumo do que de… err… melhor aconteceu no jogo do Brasil ontem a noite com duas propagandas legais, uma já clássica e a outra deste ano. Simples, mas cada um com a sua peculiaridade.

1) Sindrome de Down: Carlinhos

Importante destacar: Primeiro o Radiohead e segundo, mas não menos importante, a propaganda se tornou um clássico, pela sua simplicidade de criação e, obviamente, pela(s) mensagem(ns) passada(s). [Sim, eu vejo duas mensagens nestes 120 segundos]

2) Faculdade Pitágoras: Vídeo institucional.

Importante destacar: A bela filmagem feita durante os 60 segundos. Seria só isso, mas eu posso destacar outra coisa. Rá, eu tenho uma amiga presente neste vídeo e a Débora me aparece 4 vezes ainda por cima. o/

.

Bom, antes de ir embora, eu prometo que, até as 15:45 de sábado eu volto e posto sobre o jogo passado da seleção brasileira, mas sem falar bem do Messi, porque os ótimos jogadores brasileiros ficam bravinhos só porque ele é aplaudido e eles não são do trator laranja, oks?

.

.

Este post foi um oferecimento de Portal Music Life e ao som de “All You Need Is Love”, dos Beatles!

Euro 2008: Holanda 4 x 1 França

Hoje eu tenho a honra de dar um novo apelido para a Holanda. Depois de carrossel, laranja mecânica, reverencio a Holanda como o trator laranja.

Hoje a “meia duzia de jornalistas” que, antes da Euro começar, dizia que a Holanda faria figuração e creditaram o resultado do primeiro jogo ao acaso e ao fator estréia, tiveram que – mais uma vez – dar o braço a torcer.

Em um jogo maravilhoso contra a França de Henry e Ribéry, o trator entrou em campo e mostrou qual o objetivo da Holanda nesta Euro. Enfrentou os dois adversários teoricamente mais difíceis e conseguiu duas vitórias. São 7 gols marcados e apenas 1 sofrido e hoje, ao contrário da primeira partida, não dá para “resumir” o jogo a um nome. Hoje, além do Sneidjer, vimos um aguerrido Robben, um Boulahrouz fantástico nos desarmes, um Ooijer superando as espectativas e um Van der Sar…err.. como um Van der Sar, um dos principais goleiros do planeta.

O Jogo
Depois dos 3×0 contra a Itália, muito se esperava deste jogo. O empate entre Itália e Romênia mais cedo deixou o jogo com mais “clima de decisão” do que já tinha, já que para a França valia um passo importante para a classificação e para a Holanda valia a vaga na segunda fase e a garantia do 1º lugar no Grupo C ou grupo da morte, se preferir…

Cheguei em casa exatamente aos 30 minutos do primeiro tempo. Não vi o primeiro gol marcado pelo eternamente criticado – até por mim – Kuyt. Um gol de cabeça, se antecipando a Malouda, após uma cobrança de escanteio.


[Kuyt comemora o primeiro gol do jogo]

Começo a acompanhar e a ver uma França pressionando. Henry buscando o jogo, Ribéry aparecendo como sempre, Toulalan eficiente na marcação e saindo pro jogo. Quando algo me dizia que “a França pode empatar”. Veio o segundo tempo, a França fazendo uma blitz na área holandesa, Henry perdendo um gol incrível tocando por cima de Van der Sar.

A partir deste ponto que começa a brilhar a estrela de Van Basten. O técnico, que já tinha colocado Robben no jogo depois do intervalo, tirou Kuyt e colocou Van Persie. Aos 13 minutos, depois de um passe magistral de Ruud Van Nistelrooy, Robben avançou pelo setor esquerdo e cruzou para a área, aí surge Van Persie, que vinha na corrida, para colocar a bola no fundo do gol. O goleiro Coupet ainda encostou na bola, mas ela entrou calminha pra dentro do gol. 2×0

Aos 25 a França atingiu seu primeiro objetivo. Cruzamento de Sagnol e gol de Henry, só escorando com o bico da chuteira do pé esquerdo. 2×1

Mas, a alegria durou muito pouco, quase nem se pode exaltar o gol de Henry, já que, na saída de bola, o trator laranja fez o terceiro gol. Uma rápida troca de passes e quando a França deu por sí, Robben já tinha recebido a bola, passado por dois marcadores e, quase sem ângulo, mandado uma bomba pro gol. Coitado do Coupet, até agora deve estar sem saber por onde a bola passou. 3×1

A França foi pra cima, a Holanda se defendia com maestria – Boulahrouz, Ooijer, Mathijsen e Van Bronckhorst foram exepcionais no setor defensivo e assim seguimos até o final. Chances de gol dos dois lados, defesas dos goleiros e uma falta de sorte dos jogadores fizeram com que não saisse mais gols até os 47 do 2º tempo.

Coroamento
Aos 47, já na famosa “bacia das almas”, Sneijder deve ter pensado: “bom, falta o meu!”

E, para fechar o melhor jogo da Euro até agora, Sneidjer tratou de fazer um golaço. O meia recebeu a bola na entrada da área, após uma excelente troca de passes entre Van Nistelrooy e Van Persie, girou e bateu firme e mandou a bola “láááá onde a coruja dorme”, como diria Silvio Luiz, narrador da Band. Bom, não foi beeem lá, mas foi quase lá, foi um golaço pela jogada em si e pela visão de Sneidjer.

4×1 para não botar defeito e mostrar que a Holanda tem futebol para ser campeã da Euro e com sobras. E não digo isso por ser torcedor, basta ver um jogo.

Como é bom ver uma partida de futebol onde as equipes entram em campo em busca do ataque e de gols, como é bom ver que o bom e velho futebol ofensivo ainda tem espaço no meio de equipes que jogam com 3 volantes, fechadas na defesa e que pensam que “um empate é um bom resultado”.

Pra quem quiser, aqui estão os melhores momentos do jogo.

Classificação:

Satisfeitos? Terça tem mais…