Pessoas que fazem falta! [Ed. 01]

Hoje não é uma data especial ou que nos faça lembrar de algum fato chato ocorrido em alguma das milhares de categorias de automobilismo espalhadas por aí.

Hoje, talvez por uma simples coincidência, estava procurando notícias sobre a fusão IRL + Champ Car e acabei encontrando vídeos no YouTube de um dos pilotos que eu mais gostava em 1999 e, talvez por isto, resolvi criar uma “categoria homenagem” aqui no blog.

Greg Moore, canadense, nascido em 22 de abril de 1975 estreiou na antiga CART em 1996. Considerado como uma das principais revelações do automobilismo norte-americano daquele ano, rapidamente o piloto conseguiu se firmar na categoria, graças a sua ousadia, determinação e talento. Foi o autor de cenas incríveis dentro da CART, disputas incríveis com Alex Zanardi, Jimmy Vasser, Al Unser Jr., Max Papis, entre outros.

Ao longo de sua impressionante, mas curta carreira, Greg conseguiu 5 vitórias e vinha de uma temporada razoavel em 99, muito por culpa de sua equipe Player’s Forsythe que não tinha um carro tão competitivo ao final da temporada e, devido a isso, Greg já tinha um contrato assinado com a Penske para o ano de 2000, o que talvez lhe daria a grande chance de ser campeão.

Mas, na última corrida da temporada, no dia 31 de outubro, em Fontana, acontece o desfecho trágico da carreira de Greg. Um acidente incrível que despedaça o seu carro.

Um dos momentos tristes pra mim que, no auge dos meus 12 anos, torcia mais pelo Greg Moore por causa de suas “ultrapassagens inesperadas” do que para os brasileiros que corriam na CART.

O mais incrível é que, no fim de semana da corrida, Greg já havia se acidentado em Fontana, mas com a sua scooter, andando pelo paddock. Chegou até a ser cogitada a idéia de Greg não correr e o piloto reserva Roberto Moreno foi convocado para o seu lugar.

Mas Greg queria se despedir da equipe e fez de tudo para correr. Após vários testes, foi liberado para correr e, como não tinha participado da qualificação, largaria da última posição. E assim foi, na nona volta, Greg perdeu o controle do carro na saída da curva 2 do oval de Fontana. O carro rodou, cruzou a pista inclinada do circuito e chocou-se violentamente contra o muro interno da pista.

Greg foi declarado morto por um membro da equipe e um médico após a equipe de resgate o ter levado, com múltiplos ferimentos na cabeça, o que tornaria incapaz um ser humano sobreviver naquela situação clínica.

Hoje em dia, Greg Moore tem seu nome vinculado a uma fundação e é lembrado por todos, não pelo acidente, mas por feitos como estes, que você pode ver logo abaixo.

Descanse em paz Greg. Parabéns pelo título da Indy Lights de 1995, pelas 5 vitórias na CART e, por trazer emoção as corridas, por ser arrojado e um piloto destemido, jovem e super talentoso, qualidades que poucos conseguiam reunir naquela época e, até mesmo, hoje em dia.

2 Comentários

  1. Dez anos sem ele, tem sido doloroso…
    a Indy car ficou sem graça…
    see him inthe front, I wait it come soon

  2. =/

    triste isso!

    apesar de algumas palavras que eu jamais conhecia e que jamais entendi…
    F1 tem dessas coisas..!!

    te amo amor ♥


Sorry, the comment form is closed at this time.

Comments RSS